Eventos

28/01/2022 Minas Gerais sedia seletiva do maior Campeonato Mundial de Aviãozinho de Papel

Belo Horizonte e Ouro Preto se tornam 'pistas para pousos e decolagens' do Red Bull Paper Wings. Inscrições estão abertas para três categorias especiais

Com pista liberada para pousos e decolagens, os estudantes brasileiros já ligam as turbinas da imaginação e separam os equipamentos necessários para alçar voo na sexta edição do maior torneio mundial de aviãozinho de papel, o Red Bull Paper Wings. De volta após três anos e com mais de 60 nações na disputa, a competição, respaldada pela Paper Aircraft Association, desafia os universitários de todo o mundo em três categorias. Com inscrições abertas no Brasil, os mineiros podem se cadastrar gratuitamente nas classificatórias visando à etapa nacional.

Sem cockpit, motores e trem de pouso, os estudantes apenas precisam dar asas à imaginação por meio de uma folha de papel e habilidades de dobradura. Em 2022, os universitários podem decolar em três modalidades: Maior Tempo de Voo, Maior Distância e Acrobacias, sendo esta última 100% online e via TikTok.

A Uni BH e a Universidade Federal de Ouro Preto serão as pistas para os competidores locais. Para efetuar a inscrição na seletiva, basta clicar nos links https://paperwings.redbull.com/br-pt/event/35 e https://paperwings.redbull.com/br-pt/event/12 , respectivamente, e concluir o cadastro. As vagas são limitadas devido aos protocolos sanitários. Estudantes de outras instituições também podem participar do evento.

Nesta primeira fase, os estudantes serão separados em 20 qualificatórias que acontecerão em 18 cidades pelo País. Os oito melhores pilotos no ranking geral das categorias ‘Maior Distância’ e ‘Maior Tempo de Voo’ garantem vaga para a etapa nacional, que será disputada em Abril. Na grande decisão, além do título brasileiro, os vencedores carimbam passaporte visando à disputa da etapa mundial do Red Bull Paper Wings, no Hangar-7, na Áustria. O vencedor da categoria Acrobacias será anunciado no dia 22 de abril.

“A sensação de participar do evento é inenarrável. É uma imensidão de culturas, línguas, formas e jeitos de pensar. Tudo em um mesmo lugar. Há muito acolhimento. O sentimento é muito maior do que apenas uma competição, há um clima diferente e único. Todos nós já éramos campeões nacionais, por isso, a interação foi mais especial. E ficar entre os 10 melhores é incrível. Contudo, acredito que o fato de estar na Áustria e vivenciar essa experiência já é a maior vitória", afirma Heitor Souza, estudante de Agronomia da UFMT, que ficou em sétimo lugar no ranking mundial na categoria ‘Maior Distância’, em 2019.

© 2021 Última Notícia . By Mediaplus