Tecnologia

21/01/2021 Mais um concorrente do WhatsApp, Signal cresce assustadoramente em downloads

Fonte: Unsplash
Fonte: Unsplash

Os aplicativos de troca de mensagens revolucionaram a maneira como a sociedade atual se comunica. Hoje não há quem não participe no famigerado “grupo da família" ou não tenha o contato de dezenas de amigos e conhecidos para trocar algumas palavras e enviar mensagens diariamente. Até mesmo nas empresas, com o aumento do home office, vem crescendo o uso destes apps para reuniões de trabalho. E ao longo dos anos, o app que ocupa o posto de mensageiro mais utilizado é o WhatsApp. No entanto, após a notícia de que os usuários teriam que compartilhar dados com o Facebook para continuar usando o app, houve uma explosão na procura por alternativas.

A notificação começou a ser enviada recentemente, e alerta que será obrigatório o compartilhamento do número de telefone de quem usa o mensageiro, assim como endereço de IP e os contatos com pessoas e empresas, além de algumas outras informações, a partir do dia 8 de fevereiro. O foco por trás dessa medida é fomentar uma maior integração entre os diversos serviços oferecidos pelas empresas de Mark Zuckerberg, que incluem Instagram, Facebook e WhatsApp. Com esses dados dos usuários, as companhias podem, por exemplo, exibir anúncios personalizados para os clientes. Além disso, há a possibilidade da inclusão de alguns outros recursos, como conexões de grupo e conteúdos, sugestões de amizade, a promessa da implementação do Facebook Pay, que facilitaria as compras via WhatsApp — e, segundo a empresa, todos esses serviços trabalhando em conjunto só melhorariam a experiência do usuário.

WhatsApp vai perder terreno?

Esses novos termos de uso do mensageiro vão completamente na direção oposta do que foi dito em 2014, quando o Facebook adquiriu o WhatsApp. Naquele ano, a companhia disse que daria total privacidade de dados aos seus usuários, caso confirmem a alternativa de não compartilhá-los com outros serviços. Ainda voltando ao ano de 2014, logo após o encerramento da negociação, foi publicada uma mensagem no blog oficial do WhatsApp que dizia: “O respeito pela sua privacidade está codificado em nosso DNA e construímos o WhatsApp em torno do objetivo de saber o menos possível sobre você”. Contudo, já em 2016 passaram a ocorrer algumas mudanças que iam de encontro às declarações iniciais, quando os dados tanto do Facebook quanto do WhatsApp passaram a ser compartilhados entre si.

Porém, a grande diferença para a próxima atualização é que antes os usuários poderiam negar o envio de suas informações para o Facebook, utilizando uma opção presente nas configurações do mensageiro. Privacidade e segurança é uma preocupação constante para alguns usuários da internet — e não é pra menos, já que muitas empresas se aproveitam para vender informações pessoais e apresentam problemas de segurança. Caso você receie compras na internet por este motivo, tenha em mente que informações de pagamento não são compartilhadas, principalmente em sites notoriamente seguros, como Submarino, Magazine Luiza e Fast Shop, e alguns jogos que vendem produtos virtuais, como League of Legends, ou as plataformas listadas pelo site Casinos.Pt. Ele oferece uma plataforma segura para jogar games icônicos online, com opções que vão desde competições de poker, roleta, blackjack, a outros jogos de mesa mais populares do mercado, além das famosas slot machines.

Crescimento da concorrência

 

Fonte: Signal via Twitter
Fonte: Signal via Twitter

Com a revelação da obrigatoriedade do compartilhamento de dados, outro mensageiro passou a figurar entre os mais baixados, o Signal. Ele vem sendo considerado uma das melhores alternativas em relação ao WhatsApp para aqueles usuários que não querem que suas informações sejam compartilhadas. A popularidade do Signal tem experimentado um crescimento meteórico, tanto que ele já ocupa as primeiras posições nos rankings das lojas de aplicativos, tanto as voltadas para iOS quanto para Android.

De acordo com o site Android Police, o Signal está no topo da lista de downloads da Google PlayStore em regiões importantes do globo, como Estados Unidos, Alemanha, França, Reino Unido e Líbano. O mesmo comportamento se repete na App Store. Já no Brasil, o mensageiro ocupa o posto de segundo colocado na categoria “Em Alta” e na lista de "Principais apps gratuitos" do Android. Outro concorrente no nicho, o Telegram, está em ambas as classificações, porém, ocupa somente o quinto lugar. Além deles, o Wire, mais um aplicativo do setor, mas voltado para a utilização corporativa, também vem tendo destaque.

O Signal viralizou quando a pessoa mais rica do mundo, Elon Musk, CEO de gigantes da tecnologia como SpaceX e Tesla, utilizou o Twitter para expressar sua opinião. Musk simplesmente disse “Use Signal”, e isso foi o suficiente para a enxurrada de downloads do mensageiro nos últimos dias. De acordo com alguns representantes do serviço de troca de mensagens, a demanda é tão grande que a companhia não tem conseguido dar conta — com isso alguns atrasos estão ocorrendo no envio de códigos e verificação de números dos novos usuários. O Signal, apesar de se assemelhar bastante ao WhatsApp, dá garantias de maior privacidade e segurança aos seus clientes.

E você, pretende continuar com o WhatsApp ou escolherá outro aplicativo de mensagens? 

 

© 2021 Última Notícia . By Mediaplus