Gerais

08/06/2018 CTI do Hospital Margarida já fez mais de 3 mil atendimentos

O Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Margarida, atingiu a marca de 3.000 atendimentos no último dia 24. Em números atualizados, hoje, são 3.013 atendimentos a pessoas de João Monlevade e cidades vizinhas. A unidade intensiva foi inaugurada no dia 9 de setembro de 2011 e, desde então, tem sido fundamental para salvar vidas e promover a saúde da população. De acordo com o provedor do Hospital Margarida, José Roberto Fernandes, o CTI do Hospital presta um serviço de saúde com qualidade inquestionável à sociedade monlevadense e para toda a região. O provedor da entidade, que assumiu o Hospital em março de 2016, destaca o trabalho de todos aqueles que o antecederam e todos os profissionais que deram sua valiosa contribuição para que se atingisse tal nível de excelência. “Estamos muito orgulhosos desse número, por todos os profissionais envolvidos que dedicam sua força de trabalho a essa instituição com ética e competência, sobre os quais sempre ouvimos somente elogios. Destaco também os provedores que me antecederam e que muito fizeram pelo CTI e pelo Hospital Margarida”, afirma.

O coordenador do CTI e diretor técnico do Hospital Margarida, Marcos André Crim Câmara, atribuiu ao profissionalismo, dedicação e qualidade técnica da equipe esse expressivo número de atendimentos e, em sua maioria, com resultados positivos. “Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, assistente social, enfim, são muitas pessoas envolvidas num único intuito de salvar vidas e aliviar sofrimentos”, disse o médico. Ele também ressalta a atenção da administração da casa de saúde que sempre se demonstra sensível às demandas do setor. “Hoje em dia, o CTI é um orgulho para todos nós, não só de Monlevade, mas todas as cidades em torno se beneficiam com este serviço. Muito obrigado a todos que fazem parte dessa bela história”, concluiu.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam o CTI não é necessariamente o “fim da linha”. Os pacientes de um CTI são aqueles que por descompensação clínica, ou por terem realizado cirurgias complexas e de longa duração, necessitem de observação cuidadosa 24 horas por dia, com o acompanhamento de uma equipe especializada. Essa monitorização contínua requer disponibilidade profissional. Em função disso, o Hospital Margarida conta hoje com cerca de 60 profissionais de diversas áreas como nutrição, psicologia, higienização, nefrologia, fisioterapia, médicos plantonistas, equipe de enfermagem, assistente social, entre outros. Ainstituição disponibiliza 10 leitos para atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) e convênios.

História de vida e esperança
Lúcia Aparecida Moreira dos Santos, 52, viveu o drama de ter o filho, de 32 anos, no CTI. Após ser submetido a uma cirurgia, ele foi encaminhado ao setor, onde permaneceu por uma semana. A mãe contou que, durante os períodos permitidos de visita, ela sempre esteve presente. “Vim em todos os horários. Nunca tinha entrado num CTI e me surpreendi com a estrutura”, disse. Lúcia Aparecida lembrou dos momentos em que esteve em contato com a equipe, ressaltando a educação e capacidade técnica deles. “Todos sempre foram muito claros comigo e com minha família, nos tratavam com muito carinho e atenção”, afirmou. O filho que já se encontra em casa, segundo ela, passa bem e vai gradativamente se recuperando. “Meu filho está bem, recebeu muito apoio de todos os profissionais do CTI e ele se lembra de todos com muito carinho”, disse. Ela ressalta que se não fosse o imediato atendimento da equipe do pronto-socorro do hospital e a estrutura do CTI, a situação seria muito difícil. “Estamos gratos e satisfeitos, saímos daqui maravilhados com o que vimos”, afirmou Lúcia Aparecida.
 

© 2015 Tv Última Notícia . By Mediaplus